sexta-feira, 28 de setembro de 2012

À BEIRA DO CAMINHO





























.


Ficha Técnica:


Gênero: Drama

Duração:  102 min

Ano de Lançamento:  2012 (Brasil)


Site Oficial: http://www.abeiradocaminho.com.br/


Direção: Breno Silveira




















Roteiro: Patrícia Andrade



Música: Roberto Carlos



















Música Original: Berna Ceppas

Fotografia: Lula Carvalho

Direção de Arte: Claudio Amaral Peixoto

Figurino: Angèle Fróes




Elenco Principal:


João Miguel (João)




















Vinícius Nascimento (Duda)














Dira Paes (Rosa)


Ângelo Antônio (Afonso)
















Ludmila Rosa (Helena)




























Denise Weinberg (Mãe de João)



































João é um caminhoneiro torturado por um passado triste e romântico.
Segue pelas estradas solitárias do Brasil, acompanhado de um único CD, de Roberto Carlos, que parece fornecer a trilha sonora ideal para seus descaminhos.
Certa tarde, assusta-se com um barulho vindo da carroceria e surpreende ali o garoto Duda, que conduzido a um orfanato após a morte da mãe, decidira por o pé na estrada embarcando clandestinamente em seu caminhão.
João, aparentemente sem escolha, decide procurar em São Paulo pelo suposto pai do menino, que carrega dele apenas uma foto com um endereço nesta cidade.






















Conclusão:





Aos poucos, a vida de João vai sendo exibida e a trama se desenhando.
Suas lembranças mostram que há alguns anos ele traíra a namorada Rosa com Helena, uma amiga em comum, apaixonando-se e decidindo se casar.





Durante uma festa de réveillon, deixa Helena já no final da gravidez, pegar a estrada de volta para casa sozinha.
Enquanto ele tem um recaída nos braços de Rosa, sua esposa sofre um acidente fatal.
A filha do casal sobrevive e é a menina de quem ele aos poucos tenta se aproximar nos dias atuais.
Em uma passagem por sua cidade, encontra a antiga companheira que fala de seu amor por ele, incentivando-o a enfrentar o passado.























Já em São Paulo, descobrimos que a história do garoto não é menos sofrida: o rapaz que ele imagina ser seu pai, conta ao caminhoneiro que deixara a esposa na época após sua confissão de que esperava um filho de outro homem.
Incapaz de abandonar o menino, João apresenta-se para a filha e os três partem no caminhão em busca de Rosa, para completar a inusitada família.

















Bonito e bem filmado.
Bom filme brasileiro com canções de Roberto Carlos.





(João Miguel e o diretor no set)






segunda-feira, 17 de setembro de 2012

E A VIDA CONTINUA...









Ficha Técnica:


Gênero: Drama

Duração: 98 min

Ano de Lançamento:  2012 (Brasil)

Site Oficial: http://www.eavidacontinuaofilme.com.br/


Direção e Roteiro: Paulo Figueiredo





















































baseado no livro, de 1968, de André Luiz






















psicografado por Francisco Cândido Xavier























Música: Beto Ninni

Fotografia: Antonio Ciambra

Direção de Arte e Figurino: Liana Obata




Elenco Principal:


Amanda Acosta (Evelina Serpa)





















Luiz Baccelli (Ernesto Fantini)



















Lima Duarte (Instrutor Ribas)




















Luiz Carlos Félix (Caio Serpa)

















Ronaldo Oliva (Túlio)






















Ana Rosa (Lucinda)




























Ana Lúcia Torre (Brídiga)

















Samantha Caracante (Vera Celina)



Rosana Penna (Elisa)
















Arllete Montenegro (Sra. Tamburini)
















Cláudia Mello (Alzira)
















Rui Rezende (Desidério)





















Luiz Carlos de Moraes (Instrutor Cláudio)




















Saliba Filho (Médico)






















Laura Feliciano (Ana Flávia)























Carla Fioroni (Isa)























Cézar Pezzuoli (Amâncio)
Pedro Costa (Lúcio Terra)
Alberto Centurião (Cirurgião)
João Pedro Correia (Lúcio, menino)
Giovane E. Alvarenga (Pedro, menino)
Maria Vitória Gonçalves (Ana Flávia, menina)

















Quem já leu algum livro de André Luiz psicografado por Chico Xavier sabe da precisão do enredo e de como a história toda vai se encaixando com absoluta precisão. Independentemente da fé na continuidade da vida, o leitor tem a impressão de estar diante de uma boa história.
Por esta razão, a trama principal do filme, é mesmo interessante. 
Porém, algumas resoluções cinematográficas infelizmente deixam a desejar:
O ''céu'' que aparece atrás da entidade vivida por Lima Duarte em algumas cenas, a nave espacial que transporta os espíritos em visita à terra (foto acima), as locações em prédios antigos, alguns precisando de uma renovação na pintura, e o figurino do filme, podem diminuir a seriedade com que o assistiria um espectador apenas curioso.

Na trama, duas pessoas que se encontram prestes a realizar uma operação cirúrgica complicada, passam para o outro lado da vida e relembram as situações que enfrentaram na terra. 
Percebem que algo mais que uma simples coincidência os aproximara, unindo inclusive suas famílias. 
Até que novas decisões de reencarnação envolvendo os personagens são apresentadas como solução para um futuro melhor, interligando suas vidas sob às condições pessoais de livre-arbítrio e à lei de causa e efeito.
É sempre bem-vinda uma reflexão sobre a responsabilidade por atitudes, pensamentos e suas consequências.
Salve Chico!























sábado, 15 de setembro de 2012

OS INTOCÁVEIS

Intouchables
































Ficha Técnica:


Gênero: Drama

Duração: 112 min

Ano de Lançamento:  2011 (França)



Trailer:



















Direção e Roteiro: Olivier Nakache e Eric Toledano



















Música: Ludovico Einaudi
























Fotografia: Mathieu Vadepied

Figurino: Isabelle Pannetier




Elenco Principal:


François Cluzet (Philippe)

















Omar Sy (Driss)


Anne Le Ny (Yvonne)















Audrey Fleurot (Magalie)















Clotilde Mollet (Marcelle)















Alba Gaïa Bellugi (Elisa)















Grégoire Oestermann (Antoine)

















Thomas Solivéres (Bastien, o Espanador)






















Cyril Mendy (Adama)
















Dorothée Brière Méritte (Eléonore)



















Christian Ameri (Albert)

























O milionário francês Philippe procura um candidato para ajudá-lo em sua invalidez e acaba percebendo na atitude despreocupada de Driss, a figura ideal para estar a seu lado.
Em busca apenas de uma assinatura para conseguir o auxílio-desemprego, o ex-presidiário conquista a confiança dos entediados moradores da mansão, substituindo aos poucos sua atitude triste, por uma nova forma de viver.
Philippe tornara-se tetraplégico e a atitude de pena ou de interesse apenas em seu dinheiro percebidos nos candidatos, o faz querer tentar a companhia do novo e inexperiente cuidador.
Os dois desenvolvem uma amizade cúmplice, trocando confidências, farreando pelas ruas em um carro em alta velocidade e até contratando profissionais para alguns carinhos mais íntimos...ou quase.

























Conclusão:


Aos poucos a família problemática de Griss impede sua dedicação integral, necessária ao trabalho, e compreendendo a situação o patrão consegue algum dinheiro com a venda de um quadro seu e dispensa os serviços do amigo.
A história, baseada em fatos reais, termina com informações atuais sobre os personagens.
Comovente e bem feito.






























(Philippe Pozzo di Borgo e o ator François Cluzet)


















(Abdel Salou e Phillipe Pozzo di Borgo, os verdadeiros personagens)